Não adianta .

Aprendi com a vida, mestra dos mestres, e com o tempo, pai dos lenitivos, que há coisas que simplesmente não adiantam. Além de ser inúteis, ainda acabam exigindo um comportamento ridículo.
Não adianta por exemplo, tentar esquecer alguém, sem que esse alguém tenha sido suficientemente pensado, pesado, vivido, conhecido, velado, protegido, lamentado, tentado, recriado, idealizado e distorcido. Só se esquece alguém, quando a memória da pele vai amainando, o toque esmaecendo e o calor arrefece de vez. Nesse momento, mágico, se esquece definitivamente alguém, é o momento do desapegar, do deixar ir, livre e feliz, sem ressentimentos.
Não adianta tampouco, tentar ser o que não somos. E se não adianta mentir pra tentar pra agradar a nossas próprias ilusões, quanto mais, quando essa tentativa inglória é feita pra conquistar os outros. Se conquistamos, nos perdemos, pois jamais seremos aquilo que o conquistou. Não passamos de uma mentira idealizada, e como aprendemos na infância, mentira tem perna curta, e eu diria mais, é manca e adora correr. Por fim se atropela.
Também de nada adianta, tentar prender o tempo, conter o passar das horas, nem pra mais quando o momento é aflitivo, nem pra menos quando o prazer é iminente. O tempo é senhor de sí, e de nós, quando nos escravizamos a ele. Negar os sinais da idade, a brevidade da vida, é uma tolice sem tamanho. A gravidade é implacável, a morte é uma certeza, a vida é um aprendizado e o futuro, cedo ou tarde, uma realidade.
De nada adianta tentar convencer alguem que não nos ama, a nos querer de verdade. por mais que achemos que merecemos o outro, ele simplesmente não acha. É um direito dele. Por mais que nos achemos que somos muito especiais que fariamos o outro muito feliz, ele simplesmente não nos quer. E isso, além de um direito, é o exercício de seu livre arbítrio. Se a essencia não bateu, se as almas não se comunicam, de nada adiantará os corpos dançarem freneticamente juntos, por mais sensual ou casual que isso seja.
Aprendi que há alguém certo, do jeito certo, da idade certa, no lugar certo, que te vai amar com e apesar de todos os seus, defeitos. Se você ainda não encontrou esse alguém, paciência. Talvez não fosse pra ser.

Mas modificar tudo, travestir-se de corpo e de alma para encontrar alguém e perder-se de sí, é inútil. Não adianta nada.


By Cris Vaccarezza

0 comentários :

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...