Ensaios sobre a dança

Dançar:
Sentir seu corpo em movimento ao som de uma melodia!
De um ritmo qualquer, do mais quente ao mais suave.
Deixar que sentimentos densos, que juntamos durante todo o dia, saiam tranquilamente, poros a fora! Transpirem, volatilizem-se.
É tornar-me leve, e sentir-me pluma nos braços de quem me conduz!
Dançar é sentir-se livre dos pesados compromissos sociais.
Sentir-se livre dos encargos, das obrigações, das energias negativas.
Dançar é assinar a própria carta de alforria.
É libertar-se dos preconceitos.
Aprender que cada um dos que dançam com a gente tem sua velocidade própria, e devem ser respeitados em sua individualidade.
Hà os que dança muito, há os que dançam pouco.
Mas sempre dançam.
E dançar já é, de alguma maneira, um certo avanço!
É aprender a rir de si mesmo, aprender a rir de nossos erros.
É percceber que por melhor que sejamos, ou que tentemos ser. Jamais agradaremos a todos.
O importante é agradar a nós mesmos!
Dançar é entrar em sintonia com o que há de melhor em mim, e com o que há de melhor no outro que me conduz, ou que eu conduzo pelo salão.
Isso se houver um outro, porque dançar tb é ficar só. Ficar horas no espelho tentando praticar, aprimorar aquele passo que dá um trabalhão. E cujo acerto traz uma alegria diretamente proporcional ao quadrado do quanto me acho desajeitado(a).
Todo nós nos achamos um pouco desajeitados em algum momento. Por mais graciosos que pareçamos.
Pra nós, pro espelho, nunca está bom.São nossos pequenos segredos.
Dançar é tomar aquele estabaco, levantar, sacudir a poeira e dar a volta por cima, em vez de se deixar ficar triste, preso ao chão. Não é assim que fazemos na vida?
Dançar é ter a coragem de reconhecer seus tropeços e tentar fazer melhor na próxima.
Pois a força, na vida, como na dança, reside em não desistir fácil, não desistir nunca.
E recomeçar...E recomeçar. Toda vez que uma música nova se inicia.
Pois, como diria um grande pensador: Forte, não é aquele que vence o adversário, forte é aquele que vence a si mesmo!
Que vence as suas más tendências. A série de defeitos inconfessáveis que sabemos que todos temos.
Dançar é não desistir de sí mesmo! É não se abandonar ao desânimo!
Dançar é ter a humildade de reconhecer os próprios erros e se dispor a corrigir.
Que importa se os outros vão gostar? Que importa se vai ficar imperfeito. Importa o aprendizado!
Dançar é um ensaio musical de ser feliz!
By Cris Vaccarezza

0 comentários :

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...