Unanimidade

0 comentários

Olha, se quer saber, eu cansei desse papo de tem que ser todo mundo alto, tem que ser todo mundo magro, tem que ser todo mundo fit, tem que ser todo mundo zen, tem que ser todo mundo light, todo mundo tem que usar droga, todo mundo tem ostentar. 
Tem que ser todo mundo branco, todo mundo de direita, todo mundo de esquerda, todo mundo de olho azul, todo mundo bronzeado, todo mundo cabeludo, todo mundo loiro, todo mundo tem que gostar de uva, todo mundo tem que ser lindo, e morar em Paris, todo mundo tem que... Chega!!
Não sou todo mundo! Ninguém é todo mundo! Cada um é apenas o que é! Claro! Ninguém é uma sentença, tudo pode mudar. O que me incomoda é a exigência de ter que mudar pra ser igual a todo mundo!
O que todo mundo esquece é que, embora globalizado, o mundo é uma sopa de carinhas heterogêneas. Cabeças, corpos, etnias, biologias, ideologias, corações e histórias absolutamente diversos.
Não dá pra generalizar! Toda generalização é burra! Aliás, o que parece é que grande parte do "todo mundo" está àvido para se tornar, massa de manobra, bucha de canhão, rótulo, homogeneidade! 
Vamos lá, pessoal! Vamos respeitar as diferenças! Vamos tentar ser diferentes só para contrariar! Vamos tentar existir enquanto digital independente, enquanto ser humano único! Reivindique seu direito de existir! Não aceite ser mais um! E se quiser mudar algo em você, que seja por vontade própria, jamais por imposição de uma massa cada vez mais homogeneamente acéfala!
E pra finalizar, como eu disse no princípio, isso tudo é se quiser saber. Gostaria de informar que todo mundo NÃO tem que concordar comigo. Essa é apenas a minha opinião,  você também não precisa concordar comigo! Divirja! Divergir é bom! Seja você! Seja único!
Por Cris Vaccarezza

Equilíbrio

0 comentários

O sentido da vida é o equilíbrio entre ter e ser.

É preferível ser desorganizado com as coisas, que com as ideias. De que adianta perder horas organizando meticulosamente coisas que um dia ficarão aqui, enquanto o lixo mental de mágoas guardadas, se espalha por toda a alma? De que adianta, ter impecável o jardim, enquanto os maus sentimentos crescem no peito, qual ervas daninhas? De que adianta ter sempre um lanche a dar, um prato novo a oferecer a uma visita, e não ter uma palavra de incentivo para alimentar um espírito caido? De que adianta saber receber em sua casa, e não saber acolher em um abraço?
É preferível deixar as coisas espalhadas, mas os pensamentos reunidos em prece por alguém. É melhor ter os cabelos desarrumados e as roupas desalinhadas, mas sentimentos voltados para o bem comum. 
O que verdadeiramente  interessa, são as coisas duradouras, não as efêmeras.
É preferível cuidar da mente que do corpo. O corpo é uma veste que edifica a alma, não o inverso. 
O corpo é do mundo, mas a alma é de Deus.
Por Cris Vaccarezza

Combinado

0 comentários
Vamos combinar assim? Eu não sou sua, você não é meu. Sem posses. Mas ficamos juntos sempre que pudermos ficar. Por que é bom ficar com você e você gosta de ficar comigo.  Não temos rótulos, nem compromissos. O único compromisso é se curtir, se fazer feliz.
Fica combinado que se puder, é sim! Se não puder é não! Não, e não talvez. Sem espaços para dúvidas. Eu vou, e vou mesmo. Não vou, busque outra ocupação. E vice versa. Sem mentiras, nem enrolação.
Acho essa uma alternativa sadia para dois adultos, não acha? Já estamos grandinhos pra brincar de esconde esconde. Não caberíamos na maioria dos subterfúgios onde as crianças cabem. E sempre alguém haveria de gritar: "Que bobo! Sai daí que eu tô te vendo!" Melhor fazer tudo às claras.
Também fica combinado certa freqüência para que saibamos quem e quando procurar. Algo em torno de a cada quinze dias. Eu venho, você vai. Nos encontramos em alguma praia ou fazenda. Qualquer lugar de aluguel que comporte um amor improvisado como o nosso.
Ligações, torpedos, e e-mails, nos intervalos, são permitidos e desejados, mas não são condição sine-qua-non. Não deixaremos de nos saber amados quando em silêncio.  A mesma regra de aplica a flores e bombons.
Fica combinado que entre nós só haverá carinho, risos, ternura, parceria e cumplicidade. Nada de cobranças ou ciúmes desnecessários. Seremos um do outro de vez em quando. E nesses momentos, nosso único objetivo, será fazer feliz.
Combinemos que fica permitido beijos ilimitados, mão na mão, olho no olho, corpos colados, silêncio compartilhado na hora de dormir. Ah e cafuné! Cafuné é bom demais! Assim como massagem tântrica, óleo aromático, luz de velas, shiatsu, lingeries, fantasias, e muita intimidade em nossas aventuras horizontais; ou eventualmente verticais. Mas a proteção é fundamental no nosso caso. Vamos proteger-nos mutuamente de futuros possíveis danos. Não queremos consequências, só fazer feliz. Tudo combinado, tudo consentido. De comum acordo.
Também é fundamental protegermos os outros. Por isso é necessário que estejamos solteiros para sermos leais. Ferir compromissos não está em nossos planos. Queremos amar, não criar ódios. Queremos alegria, jamais provocar dores, derramar lágrimas, nem nossas, nem de ninguém.
E assim, diante da fragilidade das relações ora estipuladas no mundo lá fora. Já que fidelidade é cada dia mais utópica, desejo de envolvimento se confunde com carência e amar é quase uma ofensa. Dentro das condições que o mercado nos impõe, que sejamos leais. E felizes!
Deve haver algum romantismo, oculto nessa nova forma de se relacionar. Sempre há. A gente é que talvez ainda não tenha descoberto qual é. Mas fica por fim combinado que descobriremos juntos. E se não tiver romantismo algum, faremos o nosso, conforme o combinado.
Por Cris Vaccarezza
Publicado originalmente em: 21 de mar de 2012 às 19:48

Juramento de quem mesmo?

0 comentários
Eu fico indignada com a situação da saúde nesse país. Procura-se uma vaga para atendimento, só no início do mês para marcar, entra-se em contato no primeiro dia do mês, só no dia 30. Não, eu não estou falando da fila do SUS (direito de todos, dever do Estado), estou falando do atendimento por convênio, que se oferece como um dos melhores, que credencia médicos e outros profissionais de saúde e os oferece como troféus em seus Guias médicos, e saem por aí, a captar milhões de associados que pagam para sair da inexorável e infindável fila do SUS. Fazem isso, em geral, com a promessa de atendimento de qualidade, vasta rede credenciada, a preços razoáveis. Bem, razoável é uma definição ampla. Mas pela saúde fazemos tudo não é? 
Então assinamos contrato, cumprimos carência, e quando vamos exigir o nosso direito, evasivas. Só há evasivas! Volte outro dia, marque na próxima semana, já tentou o médico tal? Isso, quando o tal médico que está registrado no convênio como especialista naquela área, efetivamente atende ao paciente. A primeira pergunta das atendentes é: Paciente novo? Não estamos mais atendendo a pacientes novos, ou não estamos mais atendendo para consulta. Apenas para cirurgia! Onde já se viu, cirurgia sem consulta prévia? No Brasil! No Brasil, de tudo há! Quando o médico efetivamente atende pelo convênio, vaga só para o meio do mês que vem! Mas tem que marcar, e conseguir marcar, bem, aí só no início do mês seguinte! Nada feito, não há vagas!!
Que país é esse? Eu me pergunto! Eu, que não participei de licitação fraudulenta, que não faço parte do "Petrolão", que não enfiei a mão no bolso de ninguém, e vivo do que produzo, que trabalho e cumpro horários e que quando atendo alguém, busco ter em mente que à minha frente, está um ser humano que sofre e necessita de atendimento, e não um punhado de dinheiro!! Eu me pergunto, até quando???
"Ora bolas, meu caro paciente, seu convênio paga pouco", disse o doutor! Concordo! Então não aceite ter o seu nome citado entre o rol dos que atendem, se você efetivamente não atende pela droga do convênio! Isso obrigaria a uma revisão na tabela, o credenciamento de novos profissionais que queiram ou precisem atender. Sim! Por que nesse país, tudo é muito mais na base da necessidade, do que da vontade. Faço porque preciso, e não porque quero ou porque gosto.
Já a sumidade do convênio, deveria ter a honestidade de não fazer propaganda enganosa, postergando indefinidamente a necessidade alheia, em busca de uma vaga fictícia. Iludindo com promessas de atendimento por médicos que efetivamente jamais atenderão ao usuário do convênio. A menos que este tenha a sorte ou a clarividência de adivinhar o dia coreto de marcação da consulta, ou vença uma verdadeira maratona para ser um dos primeiros a marcar. Desculpem, meus caros, não tenho o dom da clarividência, ou já teria previsto os números da Mega-Sena e ido morar em outro país que se respeite. Bem como não sou atleta, ou seria ao menos respeitada por meu talento. Sou uma brasileira. Mais um cidadão comum, que trabalha e paga impostos e que não quer ter nenhum direito a mais, além dos garantidos a qualquer outro brasileiro que pague as suas obrigações em dias, no caso, o boleto do convênio!
Mas há uma lógica perversa por trás desse processo, o objetivo subliminar de tudo isso, é que você se canse de mendigar os seus direitos, e faça a famosa pergunta à atendente: Minha filha, pra quando é que você tem vaga particular? Só um momento, senhora! Hum deixe ver, particular temos para amanhã, senhora!! Quanto é a consulta? Pode marcar! Vou fazer esse sacrifício em nome da saúde! Bom para o doutor, que diz que atende pelo convênio, mas nunca disponibiliza vaga ao usuário; bom para o convênio que não tem que pagar pelo atendimento, e ganha sem ter que gastar, e por aí vai... 
E é disso que o sistema do egoísmo se alimenta, da necessidade, do desespero, da urgência alheias. O objetivo é um só, ganhar, ganhar, ganhar... Que importa se o bebê sente dor? Que importa se a mulher vai parir na porta do hospital? Que importa se o idoso vai morrer na maca da ambulância sem os primeiros socorros? Que me importa? Importa o meu lucro! É por isso que trabalho. É só por isso! Porque não é a saúde da sua mãe!! Por que não é a saúde do seu filho!! Só por isso! 
Nada contra quem trabalha e ganha honestamente, mas tudo contra parecer o que não se é! Não atende? Não aceite novos associados. Só atende particular? Ótimo! Acho até um status: Dr. Fulano só atende particular! Parabéns! Estudou, se esforçou, é competente, mérito seu!! Mas deixe isso claro, inclusive para o convênio! Tire o seu nome da lista! Não faça o usuário de idiota!!
Digo e repito que certas coisas deveriam ser a base de outras tantas. Deveriam, mas não são. Em se tratando da medicina, essa ciência tão nobre, creio que a leitura do juramento de Hipócrates, deveria ser aplicada desde as cadeiras de Anatomia e Fisiologia, e não decorada às pressas, apenas pelo orador da turma na véspera da formatura. Medicina de grupo deveria ser exercida com responsabilidade. Medicina é sacerdócio! Medicina é ter e prover saúde ao corpo e paz para o espírito. 
Paz de espírito, pra que? Juramento de Hipócrates? Talvez devesse passar a ser chamado de Juramento de Hipócritas. Sem dinheiro, nada feito, sem convênio nada feito! Ih! Pior, com convênio também, nada feito! Filho? Pai? Mãe?! Adiem suas dores para o mês que vem! Atendimento que é bom, nada feito!! Indignada!!
Por Cris Vaccarezza
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...